quinta-feira, 17 de junho de 2010

Abarrotado...

LOTAÇÃO lotada!! Atravesso às ruas de santo amaro e entre o preto e branco, preto e branco, preto e branco da faixa de pedestres sinto o cheiro de asfalto quente torrado pelo sol invadindo meu nariz, já contaminado pelo dia de ar intensamente seco, não me remeteu a nenhum doce...
Horário batendo, cento e dez reais a menos no bolso, lugar reservado, mulher ligando pro marido, medo.
O fone de ouvido caindo aos pedaços que funciona apenas de um lado me embala com aquelas músicas francesas que tanto tem me conquistado nos últimos dias. Abro um livro, ando meio sem paciência pra ler ultimamente, na verdade ando meio estranha, sensação de vômito prestes a desembocar, mas em desembocar em palavras, em sair gritando por aí, ou de simplesmente sumir, ou ainda quem sabe, um pouco de realidade e noção do ridículo, às vezes eu me acho tão patética!
"Para ler ouvindo Angela Ro Ro" Ai caralho! Vou dormir...
Acorda, muda o cenário, periferia, gente na rua, meninas crianças com outras crianças, acorda de novo...
Volta pra casa...acabou o "wonderland" por hoje.


segunda-feira, 14 de junho de 2010

Passarinho

Como um brotinho de feijão foi que um dia eu nasci,
Despertei cai no chão e com as flores cresci.
E decidi que a vida logo me daria tudo
Se eu não deixasse que o medo me apagasse no escuro.

Quando mamãe olhou pra mim, ela foi e pensou
Que um nome de passarinho me encheria de amor
Mas passarinho se não bate a asa logo pia
Eu que tinha um nome diferente já quis ser Maria
Ah, e como é bom voar

Foto desbotada

Chega uma palavra pesada mais rápido do que poderia chegar uma lembrança e um sentimento bom...
A foto desbotou, as traças a consomem, e os sorrisos daquele dia ensolarado, já estão amarelos e vão sendo cobertos pelo pó...






E a gente fica olhando essa vida...


sexta-feira, 11 de junho de 2010

1ª memória...

Abro o primeiro baú...para depositar nele aqueles momentos especiais que duram instantes e marcam a vida toda, que clichê...mas quem não se pega repetindo velhas frases feitas para memorar o passado?

***

Walking Around

Acontece que me canso de meus pés e de minhas unhas,
do meu cabelo e até da minha sombra.
Acontece que me canso de ser homem.

Todavia, seria delicioso
assustar um notário com um lírio cortado
ou matar uma freira com um soco na orelha.
Seria belo
ir pelas ruas com uma faca verde
e aos gritos até morrer de frio.

Passeio calmamente, c
om olhos, com sapatos,
com fúria e esquecimento,
passo, atravesso escritórios e lojas ortopédicas,
e pátios onde há roupa pendurada num arame:
cuecas, toalhas e camisas que choram
lentas lágrimas sórdidas.

(Pablo Neruda)